Conecte-se conosco

Tecnologia

Site ‘Minhateca’ sai fora do ar após ação judicial por pirataria

Publicado

Em

MinhaTeca fora do ar

O site Minhateca está com o endereço congelado há mais de um mês por determinação do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP). A decisão da juíza Adriana Cardoso Reis que impõe o bloqueio do site do ar aconteceu no dia 12 de maio e o ‘Minhateca’ está inativo desde o dia 16 de maio. A ação que pede indenização por dano material foi requerida pela Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR), representante do setor editorial brasileiro, em novembro de 2016 e, desde então, o processo corre na Justiça de São Paulo.

A ABDR alega que o site ‘Minhateca’ estaria violando os direitos de livros que foram publicados de maneira ilegal no site Minhateca e pertencem as principais editoras do mercado brasileiro. O site Minhateca oferecia o armazenamento e compartilhamento de arquivos na nuvem sem limite de uso, além de permitir que seus usuários enviassem conteúdo e os compartilhassem por meio de links ou pastas abertas sem cobranças e sem qualquer verificação de conteúdo. Filmes pornô e demais conteúdos pornográficos eram compartilhados livremente entre seus usuários.

No entanto, quem tentou acessar o site após o bloqueio da Justiça se deparou com o congelamento do endereço e não conseguiu logar ou ter acesso aos conteúdos ‘upados’ no site. Na consulta processual no site do TJ-SP consta a informação de que nenhum responsável pelo site de compartilhamento foi localizado até a data do congelamento. No Twitter oficial do Minhateca não há nenhum tipo de pronunciamento ou nota da empresa SafeNames Brazil Serviços de Internet Ltda, responsável pelo site e ré no processo. O aplicativo criado e disponibilizado no GooglePlay também não está mais disponível para download.

Nas redes sociais, o site Minhateca mostrava trechos de séries e anunciava os novos conteúdos disponíveis para download gratuito, como a série americana Game Of Thrones, que bateu recorde de pirataria em sua 7ª temporada.

Leia também:

Brasil é o quarto país que mais consome pirataria no mundo

A pirataria no pornô

O setor responsável pela proteção dos direitos autorais da Brasileirinhas retira mensalmente cerca de 42 mil links com conteúdo de propriedade da produtora espalhados em mais de 60 sites – o Minhateca era um deles. As retiradas de conteúdo só são possíveis devido a um conjunto de lei chamado DMCA (Digital Millenium Copyright Act), sancionado em 1998, nos Estados Unidos. Esse conjunto de leis visa ampliar a segurança dos direitos autorais de pessoas e empresas e, a partir da criação do DMCA, o Google passou a fornecer meios para que o conteúdo seja retirado do ar a partir do momento em que é provado que há reprodução não autorizada pelo dono daquele material – seja vídeo, foto, texto.

Considerada a maior produtora de pornô do Brasil, a Brasileirinhas lança um filme por semana em seu site, que se mantém por meio de assinaturas. Os assinantes têm acesso a um acervo de mais de 900 filmes pornô com as principais atrizes da indústria pornográfica brasileira, além de filmes pornô exclusivos com celebridades da TV como Gretchen, Rita Cadillac, Vivi Fernandez, Marcia Imperator, Alexandre Frota entre outros.

Casa das Brasileirinhas, segundo principal site da produtora, onde há streaming AO VIVO 24 horas, filmagens em 4K e milhares de vídeos pornô contendo bastidores, cenas de sexo e outras atividades feitas diariamente pelas garotas que participam do reality show também sofre com a pirataria e depende da retirada do conteúdo através dos relatórios de DMCA – trabalho feito manualmente (e diariamente) pela produtora.

O site Minhateca era considerado um dos principais site de armazenamento de conteúdo online, além de ser gratuito e não ter limite de uso, como Google Drive, DropBox, OneDrive entre outros. O Minhateca, contudo, tinha entre seus ‘princípios’ o intuito de expor trabalhos artísticos e intelectuais dos mais diversos tipos e, justamente por isso, o conteúdo que era armazenado ali ficava público. Caso o usuário quisesse que seu conteúdo fosse privado ou compartilhado apenas por pessoas autorizadas, era permitido o cadastro de senha para pastas específicas.

Leia mais
Faça seu comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

ex atriz porno da brasileirinhas bomba com curso online de sexo

Publicado

Em

Por

Marcia Imperator nossa estrela dá curso online para homens  aprenderem a dar prazer e conquistar mulheres. O curso tem 6 módulos e custa R$ 197,00.

Continuar Lendo

Tecnologia

Brasileirinhas lança aplicativo para assistir filmes pornô no celular

Publicado

Em

Por

Tutorial para download do app Brasileirinhas

A produtora Brasileirinhas lançou nesta quarta-feira seu aplicativo oficial para smartphones. O app permite que os assinantes do site Brasileirinhas tenha total acesso aos filmes pornô, ao perfil das atrizes e muito mais.

Além de poder assistir os lançamentos emanais da Brasileirinhas, o assinante que tiver o aplicativo ainda poderá baixar o filme para curtir quando quiser. Perfis de atrizes e atores, centenas das categorias mais buscadas no pornô nacional e milhares de cenas de sexo estão disponíveis no app.

Por se tratar de um aplicativo com conteúdo adulto, o app da Brasileirinhas só será disponibilizado através deste link, para Android.

A versão iOS estará disponível a partir de janeiro de 2019. Lançamentos semanais, atualizações diárias e as melhores pornstars brasileiras de todos os tempo na palma da sua mão. Agora, a Brasileirinhas tem aplicativo!

Veja o passo a passo para uso do APP BRASILEIRINHAS:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Passo 1 – Faça o download do arquivo.

Passo 2 – Execute o arquivo.

Passo 3 – Habilite a opção de permissão de fontes desconhecidas fora da play store e instale.

Passo 4 – Aceite as opções de permissão de notificação e escrita em pastas.

Passo 5 – Acesse o app pelo ícone Brasileirinhas e fim!

 

Continuar Lendo

Sexo

Rede social Tumblr anuncia que passará a banir contas com pornografia

Publicado

Em

Por

Tumblr passa a censurar pornografia na plataforma

O Tumblr anunciou nesta segunda-feira que irá banir todo conteúdo adulto da plataforma a partir de 17 de dezembro deste ano. A rede social irá retirar as postagens e grupos que abordem pornografia na rede social, que ficou conhecida por não proibir esse conteúdo.

“Conteúdo adulto não mais será permitido aqui”, disse o Tumblr em nota. A proibição certamente afetará a maneira como a plataforma funciona. Todas as outras redes sociais não permitem postagem de conteúdo adulto e o Tumblr era a única rede que permitia e, com isso, angariava muitos acessos.

Qualquer tipo de mídia – fotos, vídeos, gifs – que contenham cenas explícitas serão banidas do site, segundo o comunicado da empresa. A plataforma não banirá imagens de estátuas, ilustrações e protestos que contenham nudez e os textos também não serão afetados pela decisão.

Leia também:

Produtora americana lança paródia de Deadpool; veja trailer

Órgão de saúde pede que americanos parem de reutilizar camisinha

Por quê o Tumblr proibiu pornografia?

O anúncio aconteceu após denúncias de pornografia infantil na plataforma — o que causou a retirada do aplicativo da rede social da lista de downloads da App Store. A empresa já afirmou, por meio de nota, que retirou esse material da rede. “Uma audição de rotina verificou a existência de conteúdo que ainda não havia sido incluído na database da indústria. Nós removemos esse conteúdo imediatamente”, diz a nota.

Os inúmeros blogs que postavam conteúdo adulto ainda terão tempo para migrarem os milhares de posts – alguns blogs pornô existem há mais de 10 anos na plataforma – e os que permanecerem deverão adequar seu conteúdo e passarão a ser monitorados.

Venda do Tumblr para o Yahoo!

Em 2013, o Tumblr foi vendido ao Yahoo! US$ 1,1 bilhão. A venda salvou os cofres da rede social que, apesar de ser considerada grande, não chegava aos pés do faturamento do Facebook, por exemplo. O fundador e CEO do Tumblr, David Karp, recebeu muitas críticas na época do anúncio.

Com essa censura de todo conteúdo adulto, uma enxurrada de críticas tem surgido em outras redes sociais, como Twitter, onde a notícia da proibição permaneceu por horas entre os assuntos mais comentados do mundo. Muitos usuários já preveem tempos sombrios para a plataforma que, segundo eles, só era lembrada (e usada) justamente pela liberação da pornografia.

Agora, resta esperar e ver quantos anos o Tumblr sobrevive sem pornô.

Continuar Lendo

Entrevistas

%d blogueiros gostam disto: